-170 to UK: Hora certa - pt 2

quinta-feira, agosto 23, 2012 Aline 0 Comments

Se tem uma expressão que sempre (sim, SEMPRE com caps lock on) esteve presente em minhas falas, e que ao mesmo tempo, me incomodou, foi ‘hora certa’. A Bíblia mesmo diz, que ‘para tudo há seu momento certo embaixo do céu’ (Eclesiastes, 3).
A ‘hora certa’ foi estipulada lá atrás, pelos meus pais. Hora certa para ir sozinha à escola, somente aos 10 anos. Para estudar do outro lado da cidade, utilizando ônibus e bicicleta como meio de transporte - e sozinha, somente aos 14. Estudar em outra cidade? 16, e só se trabalhasse durante o dia. Namorar? Ao completar 18. E baladas então? Nem se fala. O que tudo isso me ensinou é que se ‘adiantarmos’ a tal da hora, a coisa não sai bem como deveria. É como tirar o bolo do forno antes de assar, ou tentar abrir uma rosa antes dela desabrochar. E os pais têm essa missão: proteger. Relutamos, achamos errado, mas no fim, descobrimos pra quê serviu toda aquela ‘proibição’.
Só que aí chega um momento que a tal da ‘hora certa’ passa a não ter data, idade, horário - mas sim, feeling. É mermão, feeling. Aí que tá o problema. Como saber que chegou o momento tão esperado de assumir um relacionamento? De engrenar outro curso universitário? Intercâmbio? Mochilão? Morar fora do país? HEIN?! E a zica se torna um pouco maior porque agora não são mais os pais que datam e/ou aprovam os acontecimentos - mas sim, só opinam. It is just up to yourself. Convenhamos: é tão mais fácil quando alguém pode tomar a decisão pela gente, não é?
Again: ‘como saber que chegou a hora certa?’. Na boa? A gente SEMPREsabe. Sabe sim, nem vem. Lá dentro, bem lá no fundo, tem aquela voz que fala ‘é’ou ‘não é’. Mas toda história tem seu vilão, e nesse caso, eles são dois: MEDO eCONFUSÃO. Desculpem-me a expressão, mas eles fodem t-u-d-o.
Eis que percebemos que de repente, a bendita e esperada hora certa chega. Olha ela aí, sorrindo, acenando, cantando Foo Fighters: ‘Hello! I’ve waited here for you… Everlong!’. O coração bate mais forte, a química é imensa, tudo encaixa. Mas como em ‘Malhação’, até que os mocinhos fiquem finally together, muita água rola. E o medo e a confusão tornam-se os antagonistas da linda história.
Como todo bom texto termina com um bom conselho, minha advice pra tudo isso:RESPIRE. Respire de novo. Conte até 100. Cante uma música. Amasse uma folha de papel com força (!!!). Masque um chiclete (cuidado para não quebrar os dentes, please!). Respire de novo. Tome uma cerveja com os amigos. Coma um bom doce (sou adepta ao: se for pra fazer, que faça bem feito - vá direto ao Haagen Dazs!). Corra num parque. Mexa com um cachorro na rua. Beba mais uma com os amigos. Fique super away from qualquer ansiedade. Fale com Deus - seja lá qual for o qual você acredita. Fale consigo. REEEEESPIRE mais uma vez. E sorria. Porque no final, every little thing is gonna be all right!    
Mas enquanto não fica, lembre-se do que dizia Walt Disney: Se podemos ter sonhos, então podemos também torná-los realidade. Só tome cuidado para não deixar o sonho apenas no sonho. Porque quando a hora chega, aí que o bicho pega. É se decidir, deixar esses ‘vilões’ de lado e mandar brasa! É preciso CORAGEM! Foco, Fé, Força e um Foda-se bem grande pro medo e pra confusão! :)
minha hora certa? tá chegando! Em dose dupla. It means: medo em dobro.
É difícil olhar para o próximo ano e conseguir interpretá-lo claramente. MUITAS mudanças, que obviamente, desencadeiam um medo inexplicável que nunca senti antes - MEDO? Essa palavra NUNCA existiu em meu vocabulário. Until now.
Mas, tem coisa que encaixa de primeira, e aí a gente sabe: É PRA SER!
   
… It’s my life, it’s now or never! I ain’t gonna live forever! I just want to live while I’m alive…. IT’S MY LIFE! :)

0 comentários: