Primeiro final de semana em Londres

domingo, fevereiro 10, 2013 Aline 2 Comments


Depois de ser revistada mil vezes na imigração em Heathrow e pegar um trem rumo à Londres, finalmente, cheguei na estação de Paddington. Foi difícil me locomover com a mala, principalmente porque da plataforma até a rua, tinha uma subida infernal – sorte que o hostel que havia reservado era há 3 quadras dali, propositalmente: quando comecei a saga das reservas, verifiquei qual seria a estação, qual o hostel próximo. Tudo friamente calculado (e com a ajuda do Marcus, obrigada mesmo!) ;)

Ao chegar no Pride of Paddington, que além de hostel era também um charmoso e aconchegante pub, me apresentei no bar, entreguei meus documentos e fiz o check-in. Outro cara ajudou a subir minha pesadíssima mala até o quarto, que ficava no 3º andar - depois de váaaarios lances de escada; que não era muito grande, tinham 3 beliches e algumas tinham malas em cima. Achei que o ambiente seria bem mais precário.


1) Pride of Paddington Challenge! Acho que o Marcus ia curtir!
2) Banheiro todo limpo e organizado. Very pride!
3) Camas organizadas e quarto muito bom! Deu pra dormir de buenas - tirando os roncos.
4) Fachada do Pub/Hostel.
5) Todas as paredes tinham desenhos fofos sobre Londres. 

My first Guinness :) Morram de inveja, Marcus e André!
O Chris, colega de trabalho que mora na Inglaterra, me encontrou e de lá, atravessamos a rua e descemos pro tão esperado Underground. Coração a mil! Finalmente estava lá, vendo aqueles túneis e mapas coloridos, pessoas de todas as etnias possíveis e eu ainda sem dormir, depois de uma cerveja... parecia tudo uma alucinação MUITO LOUCA!
1) Mind the gap! Agora sim entendi porque o Marcus falava tanto isso! A voz do cara não sai da cabeça.
2) Paradinha em Nothing Hill - lembra do filme?
3) Mapa do Underground
4) Tipo metrô de SP - #sqn
Descemos na Picadilly Circus, que estava abarrotada de gente e oi, tudo aquilo era mesmo de verdade? Não era um mais um filme ou imagens aleatórias do Google? Ainda acho que estava sonhando, pois quando lembro, estava tudo muito nebuloso.

Ahhh, que sonho! O Busão vermelho! 
Fomos a uma loja de operadora de celulares, para que eu comprasse um English chip aí vi o quanto realmente não sabia falar inglês: o atendente era egípcio e o sotaque, um dos mais complicados que já ouvi. Por £ 30 comprei um chip com internet ilimitada por 30 dias. 

Em seguida, fomos a pé até a Oxford Street. O que ser aquela rua?! Deseja algo? Tá ali. Todas as marcas possíveis, para todos os bolsos – ok, ok, nem tanto. Um luxo só. Meus olhos iam brilhando e eu não sabia mais se era sono, cansaço, magia ou uma junção de tanta coisa.

1) Oxford Street  2) Rua do hostel em plena madrugada 3) Picadilly Circus ao anoitecer!
Encontramos com um amigo do colegial do Chris e paramos num pub, pra jantar. E como já sabia, aqui é diferente: cada um paga uma rodada, lá no balcão – direto pro barman e não, não é ele quem levará a breja na mesa, mas sim quem tá comprando. Mais uma diferença cultural: enquanto no Brasil dividimos as porções (pelo menos, assim estou acostumada), lá cada um pede seu prato. Pedi um fish & chips achando que eles comeriam comigo... que nada! Pediram mais 2 pratos enormes e cada um comeu o seu. #boring #notfun

Precisa falar mais alguma coisa?! 
De lá, me levaram pro hostel e resolvi ficar no pub mais um pouco. Tomei outra breja e subi pro quarto com o copo (super easy, né?). Dormi malemá, acordei na madrugada achando que tinha um macaco no quarto (mas não, era só alguém roncando) e as 8h tava lá, tomando banho. Aliás, no andar que estava tinham 3 banheiros, sendo que um era misto, e bem grande. Já vi muito banheiro doméstico, pior, na boa! Esse hostel, realmente ganhou minha preferência!

Tomei meu café da manhã (sucrilhos, ever!) e saí para dar mais um rolê. Como meu cartão Oyster (aquele do underground, que se recarrega e utiliza a cada viagem) ainda tinha alguma coisa, fui até Picadilly Circus e por sorte, estava tendo um desfile comemorando o ano novo Chinês, que estava começando junto com minha chegada à Inglaterra. 

Voltei pro hostel, pedi pra uma alma boa me ajudar a descer a mala e 12h o driver da Embassy Hastings apareceu por lá. Voltamos pra Heathrow pegar um garoto que estava chegando da Venezuela e de lá, rumamos para o litoral.

1) Eu 2) Eu 3) Ano Novo Chinês - Desfile 4) Eu 5) Meu breakfast. Momento EU.
Mais um choque: já tinha ligado ao máximo minha atenção para olhar para ambos os lados ao atravessar a rua, mas sentar do lado oposto no carro e ver todo o trânsito inverso vindo em direção, é realmente muito louco! Tentei pegar amizade com o motorista, mas seu sotaque era realmente super ultra mega fucking difficult to understand. Isso porque me disseram que no sul era bem mais clear e dava pra entender de boa. Era pegadinha do malandro?

No caminho pra Hastings, passamos por uma breve chuva de neve e eu e a vaca, minha amiga pelúcia (que como mencionei, foi terrivelmente revistada pela imigração achando que estava a caminho de UK para revender dorgas) ficamos mega entusiasmadas e percebemos que sim, o sonho já estava rolando.

2 comentários:

  1. A mala era maior que vc, certeza! HAUSHUAHSUHAUSHUHAUHSUHAUHSUHUAHSUAUHSU
    Continue compartilhando suas aventuras conosco, eu particularmente gosto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, era QUASE! heuihuiahuiehiuhahuea Ainda bem que vc gosta, pq se não gostasse, eu ficaria infernizando vc até :p

      Excluir