AuPair: CASV + Consulado (Visto Americano)

terça-feira, outubro 15, 2013 Aline 4 Comments

Parece que faz uma eternidade, mas se passou somente um mês do dia que tanto esperei, tanto temi. Enfim, vamos deixar de mimimi e ir ao que interessa? :P

Depois de preencher o DS-160 e agendar a entrevista, começou a saga para separar mil e um documentos para levar no tal dia. Os conselhos e opiniões foram diversificados: enquanto para uns não pediram quase nada, para outros, o bombardeio de perguntas e comprovantes foi meio exagerado.

Como preenchi no 15/09, agendei a entrega do passaporte no CASV para 19/09 e a entrevista, 20/09. Para quem fará o mesmo e algum outro ser alienado já encheu o saco dizendo 'é difícil encontrar data' ou 'algo do tipo, keep calm and manda pra pqp:  para o visto J1, a coisa é diferente: é possível encontrar disponibilidade para até 2 dias após o preenchimento. A demora geralmente é para a categoria B2 (Turismo).

CASV

Meu horário era às 10h, mas como estava um dia extremamente chuvoso e Sampa já é um caos por natureza, cheguei ao local (posto Alto de Pinheiros) cerca de 08h30. Li em muitos blogs e várias pessoas mencionaram que não adianta chegar mais cedo, pois será atendido na hora marcada - FAIL.

Fui para a fila, o segurança perguntou meu horário e liberou. Segui um corredorzinho (como se fosse o da sua casa, sabe? Aqueles na lateral, que cercam a cozinha e tal) e cheguei numa edícula, que tinha um telhadinho Brasilit e umas 15 pessoas na minha frente. A chuva apertou, e achamos que inundaria: todo mundo se aglomerou feito criançada esperando ônibus em dia de neve. 

Chegou minha vez, fui até o balcão (no qual haviam duas moças atendendo, e era dentro da 'casa') e entreguei o passaporte + a confirmação de agendamento. Ela digitou umas coisinhas, colocou uma outra folha com o horário e endereço do dia seguinte e de lá, fui pra outra fila. Essa, que era lá dentro mesmo e tinham poucas pessoas, era para tirar a foto do visto e a digital. 

Meu pai me levou e ficou dentro do carro mesmo, no estacionamento que tinha ali perto (cobraram R$ 15 se não me engano). Ninguém pode acompanhar o solicitante, e celulares/objetos cortantes/eletrônicos não são permitidos. Por segurança e pra não ter stress, deixei minha bolsa com meu pai e só levei os documentos necessários.

Tempo total no CASV: 30min (20min de fila / 10min atendimento - conferência documentos e tirar foto + digital).
Documentos solicitados: Passaporte, confirmação de agendamento, DS160 (a folha 'final', com seu ID).

CONSULADO AMERICANO

O dia que eu tanto temia. E por que tanto medo? Li em muitos blogs que a chance de recusarem visto de AuPair para meninas acima dos 25 era enorme, por ser a tal da 'idade de risco'. Faculdade terminada, estabilidade financeira... ou seja, mais fácil ir pros USA e nunca mais voltar, né? E outra coisa que li, que realmente devia ter seguido (mas ninguém segue, porque não quer seguir mesmo): NUNCA SE BASEIE NAS EXPERIÊNCIAS DOS OUTROS. Sim, é verdade: cada um é cada um, cada situação é uma situação.  Ou seja, fiquei com medo e criei um monstro que não existia. O lado bom é que me precavi e separei meio mundo de comprovantes.

Meu horário na sexta era as 10h50, e dessa vez, o Marcus foi comigo. Saímos de casa às 06h30 (moro cerca de 130km de SP) e chegamos as 08h - too early. Tomamos um coffee no Consulado Café (o famoso, que fica lá na frente) e tentei controlar meus ânimos. Eu estava nervosa, e muito; o carinho do Marcus e a oração que uma amiga fez via whatsapp foram essenciais - esse último, me fez realmente sentir que Deus estava ao meu lado e que se fosse pra ser, seria.

08h30 e resolvi ir pro portão de entrada e o Marcus quis ficar no carro jogando Candy Crush (tsc tsc). Aí começou minha saga das filas: a primeira delas, era para esperar dar meu horário - tinham uns banquinhos, então sentei e fiquei olhando pro nada e pras pessoas que ali estavam; consegui passar o tempo pensando se elas estavam nervosas como eu, o que iriam fazer nos USA, quais eram seus planos (estava sem celular pra enrolar... deixei tudo no carro, again).

Aí gritaram '10h50' e fui para outra fila - a de triagem: era composta pela pequena aqui e mais umas 20 pessoas, do meu horário e as que restaram dos anteriores; a espera foi de uns 15min. Tinha uma mesa de madeira grandona com os atendentes (todos jovens, informais, uns com cabelos bem doidos, outros com tattoos e piercings - sem preconceitos obviamente, mas a gente acaba esperando algo tio Obama). Um carinha me atendeu, recolheu meu passaporte + a guia do dia anterior e pediu para que eu fosse pra uma OUTRA FILA, agora, a dos horários - separada por cores e números.

Nessa fila, fui a primeira e todos que eram das 10h50 foram se aglomerando ali - a espera foi de mais de 30min. Faltando 5minutos, liberaram e fomos para mais uma fila: a do raio x, com um bônus de mais 10min de espera. Passando por lá, finalmente entrei no consulado e cheguei no 'galpão' que finalmente acontecia o processo. Fiquei esperando com mais uma galera enorme, por mais 10min e quando chamaram meu nome, entregaram meu passaporte e peguei MAIS UMA FILA, ao lado - tipo aquelas do Hopi Hari, cheias de zigue-zague - espera de mais uns 10min. Sim, estava LOTADO.

Na minha cabecinha fértil e criativa, imaginava uma outra cena. Uma mesinha, um cara daqueles da CIA que estaria munido de perguntas (sim, eu viajo). Fiquei desiludida com a imagem real: eram vários guichês, o solicitante ficava em pezinho falando pelo auto-falante-microfone e a pessoa do outro lado do vidro, com um computador - tipo banco! Dava pra ouvir perfeitamente o que eles falavam e percebi que umas entrevistas eram em português, outras em inglês.

FINALMENTE, depois de tantas filas, esperas, agonias, abraços do namorado, oração por whatsapp e um cappuccino que mal tinha chocolate, chegou a minha vez. Não me lembro tão bem do diálogo, mas foi kind of assim:
Mocinha loira, de cabelo curtinho loiro, chamada Nicole:- Hello. What is the purpose of your visit?
Aline:- Be an AuPair
N: Why you want to be an AuPair?
A: Because as I am a bilingual secretary and I studied to be an English teacher, I must need to improve my English (eu tinha treinado um discurso bem melhor e maior, que simplesmente, SUMIU da minha cabeça).
N: How old are you?
A: 25.
N digita sem parar. Digita mais um pouco. Entrega um panfleto de algo como 'Estudar e trabalhar nos USA - Saiba seus direitos e deveres' e resmungou mais algo, que eu não entendi. 
A: Sorry, I didn't understand. Is my Visa approved?
N: Yes, it is.
         A: Don't you need my AuPairCare letter?
N: No. Your passport will get in your home in few days and you have to show your Sevis when you get to the Immigration border. 
A: Ok, Thank you.

Não sei foram essas palavras, mas foi tipo isso. Eu levei uma pasta recheada de coisas, separadas por categorias (minha mania de perfeccionismo com organização)... e não precisou de NADA. Nem quis saber pra que city vou, como são as kids (como muitos perguntam). Insensível! :/ hahahaha

Saí de lá sem sorriso, mas com a sensação que tinha tirado um peso das costas. Um mundo de desafios e decepções me esperava fora de lá, e mesmo tendo um final de semana nada esperado (daqueles que o coração dói a ponto de gritar) e uma surpresa super hiper mega difícil ao contar no trabalho que iria fazer um intercâmbio e deixá-los, uma coisa eu carrego comigo: DEUS - que sempre dá um jeitinho de mostrar que não abandona (mesmo que seja através de um abraço, um carinho, um sms).

Tempo total no Consulado: aprox. 3h30min - nesse, realmente não vale a pena chegar com muita antedecência. Eu recomendaria no máximo uns 20min.
Documentos solicitados: passaporte, sevis + guia do DS-160.

EEEEE, eu levei (get ready, porque a lista é imensa):
Documentação Principal
Passaporte
01 foto 5x5, colorida, fundo branco, digitalizada
01 foto 5x7, colorida, fundo branco, impressa
Formulário DS-160 preenchido eletronicamente
Comprovante DS-2019 e SEVIS
Comprovante taxa consular
Documentação de Vínculo - Aline
Carteira de trabalho
Carta Empresa
Carta AuPairCare
Carta Host 
Comprovante de pagamento AuPairCare
Comprovante da faculdade
Histórico escolar (Ensino Fundamental, Médio e Superior)
Cartão de Crédito Internacional - Aline
Comprovante de Situação Cadastral no CPF
Holerites (3 últimos)
Extrato Bancário

Documentação de Vínculo - Pai
Carteira de trabalho
Certidão de casamento
Comprovante de Situação Cadastral no CPF
Holerites (3 últimos)
Imposto de Renda com comprovante de entrega no banco
Extratos Bancários (03 meses) do caixa eletrônico
Documento imóvel
Documento do carro

Os riscados, não foram necessários. Recomendo levar? Talvez - como mencionei acima, cada um tem seu processo. Levei apenas por precaução.  

**

Nem tudo foram flores após o episódio de mais clímax na vida dessa futura AuPair, mas continuo regando meu jardim para que novas borboletas, quem sabe, se atraiam.

Que venha o melhor, e BOA SORTE pra quem tá chegando nessa parte do processo!

4 comentários:

  1. Adorei o post Aline! Me deixou mais calma pro meu! hahaha

    Só fiquei espantada com o tanto de documento que você levou! kkkkkk

    Chicago here we go! \o/

    Beeijos,

    Vanessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fui bem exagerada ao levar os doctos, né? hahaha Mas enfim, antes prevenir do que remediar! :p

      Que venha Chicago!
      E boa sorte no seu dia V! :)

      Beijão!

      Excluir
  2. Aline, me senti lá contigo ao ler o post. Eu nunca tive que tirar o visto, mas já ajudei algumas pessoas, então eu sei o quão cansativo é preencher esses formulários, e depois ainda ter que juntar tantos documentos pra entrevista. Dá até raiva eles não usarem, né, já que a gente tem o maior trabalho de gather tudo, por que é que eles nem fingem que querem ver, poxa kkkkk

    beijos e parabéns pelo visto rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tinha ajudado algumas pessoas em alguns pontos do visto, mas nunca feito por completo. Mas sabe que o pior mesmo é a neura que cresce na cabeça? Porque do resto, muito simples!

      Beijão e obrigada! :)

      Excluir