Superando o fim de Chicago e adotando uma renda extra

quarta-feira, julho 02, 2014 Aline 7 Comments

Talvez um dia eu faça um post sobre entrevistas de trabalho, já que de fevereiro a maio fiz mais do que em minha vida toda. Cheguei dos USA em uma segunda-feira, com uma agendada para a terça: obviamente fui mancando e semi-dopada, escondi o porquê havia interrompido o intercâmbio e pasmem, após 5 outras etapas fui escolhida. Era uma multinacional dos sonhos, do ramo de cosméticos mega conhecida e eu atenderia o presidente nacional. Nem eu acreditei. 

Não menciono o fato por me gabar ou qualquer sentimento relativo, mas para mostrar que parece mesmo que existe aquela regra das coisas acontecerem na hora certa - e o quanto isso pode ser revoltante.

Enfim, não acreditei também quando tive que ligar, um dia antes do meu início, avisando que não poderia ficar com a vaga. Na noite anterior o médico havia dito que minha melhora só ocorreria através de cirurgia e dirigir todos os dias 220km seria uma enorme loucura - morar sozinha, na atual situação, sem chance. Foi a oportunidade que sempre esperei, na hora errada. Imaginem o quanto eu fiquei revoltada, #xatiada, angustiada e putadavida?!

Para quem já estava bem depressiva, perder a tal grande chance foi crucial para deixar o período mais insuportável e negativo que já vivi nesses 25 anos ainda mais tenso. Nada mais me animava e não dava para ver qualquer aspecto bom na vida - era como se uma venda tivesse sido colocada em meus olhos. Descobri que nosso pior inimigo não é a amiga que trai, a que fala mal, ou qualquer outro ser que passamos a ter uma desavença; o maior inimigo é nosso pensamento. Já dizia Pedro Bial, é você contra você mesmo.

Obviamente o namorado não aguentava mais me ver naquela situação e eu precisava de uma motivação, me ocupar com algo, deixar que a mente não pensasse tanto em Chicago. E mais: necessitava de dinheiro! Então, ele me incentivou a voltar a fazer os cupcakes que tanto fiz no período pré-intercâmbio, mas dessa vez para vender. Também conseguiu a me motivar a realizar algo que sempre quis: um curso livre no Senac! 


Amizade com propósitos semelhantes: comida
Nossa bancada sempre era a mais limpa e organizada! :)
Finalmente conheci o campus universitário em Águas de São Pedro e passava minhas tardes naquele ambiente fascinante de gastronomia. Das 18 até um pouco mais de 23h o período tinha apenas um tema: cupcakes! Mesmo com a curta duração, foi possível praticar mais e também serviu para motivar, conhecer gente com os mesmos interesses e finalmente ter a coragem para começar a oferecer para as pessoas um bolinho simples e caseiro.

Sim, SIMPLES e CASEIRO - o foco dos bolinhos! Eu sempre fui um desastre na cozinha, sujo tudo e não tenho mão confeiteira. Sério, é algo que não levo o mínimo jeito e não tenho dom. Leio o ICKFD e me sinto a pessoa mais inferior do mundo e vejo o quanto amadora sou. Mas lidar com cozinha mexe com meus sentidos - e impõe a melhora em alguns defeitos - e por isso tem realmente sido uma experiência desafiadora. Portanto por enquanto, não me cobro por aqueles cupcakes todos lindões do Google Images. Não é o foco!

Em Julho já completam 2 meses de vendas, e até nesta data foram encomendados cerca de 600 bolinhos - pra mim, um numero até que grande considerando minha inexperiência, poucos contatos e falta de tempo. Sim, falta de tempo!

No dia o qual iniciei o curso, me ligaram avisando que havia sido escolhida em uma outra empresa, para início imediato. Como minha coluna já estava respondendo bem ao tratamento e o trampo felizmente era perto de casa, na mesma semana embarquei no trabalho novo, em um curso de longa duração aos finais de semana e nas vendas de cupcakes, que ocupam minhas noites de terça, quarta e quinta. 


Praticando cupterapia
Praticando cupterapia
Meus pais acham loucura essa correria, considerando que meu corpo pode não aguentar o ritmo corrido e o esforço físico. Eu já acho que preciso mesmo me ocupar e com o pequeno lucro que os cupcakes renderam, investi em uma batedeira nova e outros pequenos equipamentos/apetrechos relativos a confeitaria. Tem sido uma baita terapia e até estou me tornando meio "dependente" dos pequenos fofinhos! Antes se ocupar com comida do que com depressão, né?!

Não sei até quando vou levar adiante, até porque se realmente investir em uma pós o tempo livre vai diminuir drasticamente. Mas, enquanto eu tiver dois dias livres na semana, vou manter a saga viva!  


A primeira fornada de encomendas!
Hummm! :)
Não quero e nunca serei exemplo a ninguém, mas se você - ou alguém que conhece - está em uma situação desanimadora e depressiva, incentive (se) a alguma ocupação, um hobbie novo. Se for para obter lucro, que seja algo que já goste, pois o que fazemos com amor fazemos mais bem feito do que as tarefas obrigatórias.

Diziam que "mente vazia é oficina do diabo", eu já digo que mente vazia é falta de amor. Ocupe seu tempo com algo que ame, e assim a venda que tampa os olhos para um dia mais bonito se cai e de quebra, uma graninha pode vir de acompanhante! :)

7 comentários:

  1. Aliiiine, que coisas mais lindas. Fiquei aqui impressionada com a história do emprego na empresa de cosméticos. É tão difícil compreender os caminhos do Senhor (te escreverei um e-mail hoje em resposta da fofura que vc me enviou e te conto mais sobre isso), mas vc disse algo que eu tenho ouvido muito ultimamente: dedique-se a uma paixão. A vida tem o seu rumo, seu ciclo, sua forma de ir se moldando e é tão difícil acompanhar e ir se adaptando a tudo isso. Mas vc tem uma positividade incrível e inspiradora e isso te leva a sempre buscar novos caminhos.
    Esse seu post veio em um momento bem adequado para mim. Obrigada, viu.
    Beijos e até já, já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha querida,
      A vida parece ser um quebra cabeça que muda as peças frequentemente! Até encontrarmos o cantinho ideal pra ela, parece que que não dá encaixe, até procurar procurar procurar e, aráaa, encaixou!

      É difícil aceitar que às vezes Deus muda nossos planos, né? O que percebemos só depois é que se tivessemos seguido o que planejamos, talvez não tivesse sido tão bom. Assim espero! (estou positiva hoje!)

      Um beijo e obrigada pelas lindas palavras, como sempre!

      Excluir
  2. Oi Aline .. aqui estou novamente!!! Primeiro obrigada pela visita e pelo coments :-)

    Eu também acredito que as coisas acontecem na hora certa, no meu caso foi no assunto relacionamentos, nunca tive nada muito sério com nenhum homem, ou que fizesse realmente me apaixonar até ir pela primeira vez para Alemanha e conhecer um rapaz muito especial, não é o meu noivo, mas ele me mostrou o que eu quero para mim em um relacionamento e como identificar a pessoa, e aqui estou eu nos preparativos para ir morar com a pessoa que eu acredito que seja O CARA.
    M.D.A.: Guria, só de ver as fotos dos cupcake fiquei com fome rs as vezes eu queria ter o dom de cozinha, na verdade eu não tenho muita paciência para isso :-P
    considerando isso rs eu fico me imaginando quando eu morar com o meu noivo como será. (Acho que colocarei ele para cozinhar haha)
    Mais lendo o seu post de hoje acho que você me deu uma ideia para ocupar o meu tempo enquanto não conseguir um emprego lá na Alemanha ;) o meu medo é de voltar a engordar rs acho que é por isso que peguei uma raiva de cozinhar e comida em geral hahahaha
    Mas um hobby que eu amo é mexer em plantas e fotografar (apesar de não ter a mania de tirar fotos de cada objetos e virgulas que vejo por ai), porém o clima europeu só permite fazer isso 3 meses por ano =/ infelizmente risos terei que procurar outro hobby rs

    Fico por aqui
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari,
      Sobre fotografar, mesmo com o inverno europeu, dá pra aproveitar bem mais que o nosso! A neve, o contraste do céu, as pessoas pela rua todas "afofadas" de roupa! Eu acho o maximo - embora deteste esse tipo de inverno.

      Vai com fé, como já te disse, e não importe se ele é teu noivo, marido ou o que quer que seja. Se tem segurança no que sente e é o que quer, manda bala! :) E tome minha Francizkaner!

      Um gde beijo!

      Excluir
  3. Gente, me deu vontade de devorar alguns cupcakes agora!
    Outra coisa, você disse que não quer ser exemplo mas é sim. Assino embaixo do que você disse. Já passei por momentos em que estava tudo dando errado e por ocupar minha mente produzindo algo, consegui encontrar uma solução legal para alguns problemas. A vida sempre segue, mesmo quando parece que o mundo está desabando. É preciso ter calma porque as coisas acontecem quando têm de acontecer. As vezes a gente se cobra demais, né?

    Beijos e que o negócio dos cupcakes te renda sempre melhores frutos!

    ResponderExcluir
  4. Não tenho certeza se meus comentários estão indo :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foram sim! :)
      Essa cobrança mata a gente, sem dúvidas. Principalmente qdo nos planejamos detalhadamente e algo dá errado.
      O duro é sair da "zona do não deu certo" e encarar algo. Mas depois que começa, flui!

      Beijos!

      Excluir