Leitura sem grana: como ler sem comprar livros

quinta-feira, julho 31, 2014 Aline 10 Comments

Na sexta-feira passada, 25/Julho, comemoramos nada mais do que duas profissões (ou "estado de vida") que fazem parte de mim e, provavelmente de você aí também: Dia do Escritor e do Viajante.

Coincidentemente, no mesmo mês dois grandes nomes da nossa literatura nos deixaram: Adriano Suassuna - conhecidíssimo pelo Auto da Compadecida - e Rubem Alves, fantástico educador, queridinho dos pedagogos.

Viajante, ao meu simples ver, é qualquer um que tenha sua alma a procura de um lugar; não só para chamá-lo de lar, mas para uma busca intrínseca de quem realmente é. Não basta munir-se de malas, câmeras fotográficas, mapas; tem dentro de si a ideia de precisar unicamente sentir a energia de uma cultura diferente, fotografando com os olhos e descobrindo que o mundo é um bom lugar.

Se você quer viajar e não tem grana: LEIA! Não pode comprar livros? Use sua criatividade. Li em vários sites e palestras neste mês que o maior segredo de grandes empreendedores é apenas um: eles lêem - muito e sobre tudo. Conhecimento é gratuito e só não vai atrás quem não quer (ou prefere passar o tempo vendo a timeline do Facebook por horas, a toa).

É obvio que através de um livro podemos viajar pelo mundo todo - mas eu vivi intensamente esse sentimento nos últimos meses, enquanto não podia andar muito e minhas opções financeiras estavam extremamente limitadas.

Utilizei 3 soluções sem precisar gastar comprando livros - eu AMO tê-los em minha estante, mas confesso que não podia pagar nem R$ 29 em uma obra... imagine em várias! As dicas são bem óbvias:
  1. Pedir emprestado
    Seja cara de pau e troque suas selfies no Facebook por um pedido como "Alguém tem um livro legal para emprestar?". Tenho certeza que dentre uns 400 contatos, pelo menos uns 3 te responderão. Vale também pedir pros amigos. Biblioteca municipal também ajuda e muito.
  2. Ler em livrarias
    Me encontrei nessa opção! Muitas (se não quase todas) livrarias grandes possuem sofazinhos, que muitas vezes encontram-se abandonados ou utilizados por maridos entediados. Procure um livro interessante, pegue-o e sente. As horas vão se estender e quando ver, terá devorado umas 20 páginas, no mínimo.
    Li O Menino do Pijama Listrado em uma tarde (5h de leitura incluindo 15min de soneca) e alguns outros em uma semana, marcando sempre a página que parei (na memória, e não rabiscando tá?), retornando em algum outro dia.
    À vezes levava um café, um lanchinho e até açaí no copo (hahaha), tomando sempre cuidado para não sujar, já que depois o devolvia onde o encontrei (nada de deixar no sofá, ok?). Sabe aquela tarde insuportável sem nada pra fazer, que você acaba virando o dia no Faccebok? Troque por uma livraria.
  3. Ler através do Smartphone
    Sim, dói a vista e as letrinhas miúdas desanimam. Mas, se nenhuma das opções anteriores estão disponíveis, não há jeito. O começo foi horrível, mas hoje eu estou totalmente acostumada e se deixo o livro que estou lendo em casa, tenho a versão PDF para ler em qualquer canto (como uma fila de banco, por exemplo) - assim como com os livros que lia na Nobel: leitura parcial na loja e outra na cama com o celular.
    Estou lendo dois livros no momento e como não cabem em minha atual bolsa, a leitura física faço em casa e a virtual, quando estou por aí. Vai por mim, você só precisa se acostumar.

    Como baixar em PDF? 
    Para alguns será obvio, mas como ensinei algumas pessoas, talvez seja útil pra você aí também. Não sei como funciona em Android, mas para IOS (Iphone/Ipad):

    1. Vá no Safari, Google e digite o nome do livro + pdf: O Menino do Pijama Listrado PDF.

    2. Veja as opções: algumas serão opções de compra (como Saraiva), mas alguns outros sites (como Tumblrs) te encaminharão diretamente para o arquivo (sem precisar de download).

    3. Abra o site e ele te direciona ao arquivo. Coloque o dedo sobre a tela e aparecerá "Abrir no iBooks", clique aí. Para isso você precisará ter instalado o aplicativo, se ainda não tiver, procure na Appstore (gratuito).

    4. Automaticamente ele abrirá e ficará salvo em sua Biblioteca - nela também estará todos os outros que salvar.

Deixo claro que não estou fazendo a apologia a pirataria - incentivo quem puder a comprar os Ebooks direto com as livrarias (alguns saem por R$ 10) ou até mesmo os físicos. Como estava desesperada e sem grana, encontrei essa solução. Se puder, compre... se não, não deixe de ler. 


Felizmente meu iBooks está bem cheio e já li muitos livros alternando nas opções acima, sem ter a desculpa que não li porque estava sem dinheiro. Com isso, visitei a Alemanha Nazista (com o próprio O Menino do Pijama Listrado e a linda Liesel da Menina que Roubava Livros), NYC e algumas ilhas interessantes em A Vingança Veste Prada (#boring), me inspirei com a Austrália e até uns cantinhos de (também) NYC em Projeto Rosie, Londres e Ikonos em A Lua de Mel, França em épocas da 1ª Guerra Mundial em A Garota que você deixou para trás e por aí segue uma lista de livros famosinhos e outros nem tanto assim. 

Tem algumas obras que são bem complicadas de ler, com uma linguagem diferente do nosso cotidiano... como lê-los?

Comece por uma leitura mais fácil, mesmo que isso signifique 50 Tons de Cinza ou até mesmo A Culpa é das Estrelas. Ambos são bem peculiares para certas realidades e sou da opinião que o que importa é estar lendo. Leitura também é treino e precisa começar com algo mais simples.

Confesso que ler Crime e Castigo no início da faculdade foi torturante, hoje já consigo ler com mais afinco e melhor entendimento! :)


Você conhece alguma outra forma de leitura de livros sem precisar gastar? Conte-me! :)

10 comentários:

  1. Vou confessar uma coisa: eu li o menino do pijama listrado e foi o único livro que eu gostei menos que o filme. Não sei, a forma como é contado, sei lá, o filme é mais emocionante, muito bem feito, de cortar o coração.
    Eu concordo com vc em tudo e queria que minhas irmãs fossem assim.
    Eu, hoje em dia, prefiro ler em pdf no ipad porque eu curto ler antes de dormir e divido o quarto com minha irmã, daí se eu deixo a luz acessa ela reclama e o ipad tem luz então fica tudo mais fácil. Agorinha estou lendo the stranger on the road to emmaus e como eu era antes de vc. Ambos em pdf =D
    Beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha,
      Eu não vi o filme, então fiquei com a imagem na cabeça, do Fúria! Mas a menina que roubava livros não me decepcionou na adaptação, mesmo faltando muita coisa! Acredita que eu tinha vontade de roubar o livro? hahaha

      Eu amei como eu era antes de você! Não vou mencionar o que não gostei, pra não virar spoiler! :P

      O único filme até hoje que gostei mais da adaptação do que da obra foi a culpa é das estrelas... Não fui com a cara de nenhum livro do John Green!

      Beijos

      Excluir
    2. Ainda não li nem assisti A culpa é das estrelas. Quando vira modinha assim eu perco o interesse total. Mas ando tão entediada que vou procurar para assistir.
      =*

      Excluir
    3. Eu li só pra ver se era tuuudo isso mesmo que falavam, e não achei mta graça não... também não curto modinhas. Veja o filme, a leitura deixe pra quando realmente não tiver nada melhor pra ler.

      Excluir
  2. Resumindo: só não lê quem não quer! Eu gosto de ler no papel mesmo, por isso gosto de comprar livros. Como eu não empresto livros, também não peço emprestado, mas tenho a sorte de minha irmã sempre comprar livros interessantes e me deixar ler (a gente empresta livros só entre a gente mesmo, rs).

    Ótimas dicas, Aline!!! beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm adoro ler no papel, maaaaaas... quem não tem cão, caça com gato, não é?! :P

      Excluir
  3. Aline sua sumida :)

    Você tem razão, melhor forma de melhorar a escrita é lendo, mas confesso que o livro tem que me interessar muito para passar horas lendo, eu gosto muito, mas eu tenho um problema desde pequena que apesar de ter melhorado muito, ainda mora em mim, eu não consigo ficar muito tempo parada rs , me da faniquito hahahaha juro, primeiro o pé começa a balançar, depois uma perna, depois a outra e ai tenho q levantar ... Lembro-me que de quando pequena eu ia fazer a lição de casa depois de enrolar o dia todo e minha mãe me obrigar rs eu dizia para ela: "mas mãe eu não consigo ficar parada rs não dá" hahahaha
    Quanto a dicas, não sei se já ouviu falar do site da estante virtual, é uma espécie de sebo virtual, muito legal, vale a pena tentar, já achei livros por R$5,00 rs procura no google estante virtual e veja se val a pena pra ti...

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, se o livro não me desperta interesse também fico assim, viu!? Aí tento trocar de leitura e depois lê-lo novamente. Só que aí desanimo... hahaha Complicado, né?!
      Já tinha ouvido falar da estante virtual, mas como tinha que pagar (e eu realmente não podia hahaha), não rolou... Agora meu esquema é outro: preciso de tempo livre! Olhe como as coisas mudam!

      Beijos!

      Excluir
  4. Adorei seu texto, Aline! ler é muito importante e não é preciso estar cheio de dinheiro para isso. Você deu ótimos exemplos. Eu posso dizer que a leitura definitivamente mudou minha vida. Nunca fui uma pessoa cheia de recursos, mas ler me ensinou muito, me deu ideias, melhorou minha criatividade, expandiu meus horizontes... tudo isso é clichê mas é verdade :)
    Que mais pessoas se apaixonem pela leitura!

    ResponderExcluir
  5. Sem dúvidas, Vanessa!
    Ler é se transportar pra qualquer destino sem sair do lugar! Pode ser cliché, mas é a pura verdade! E toda entrevista que leio de algum empresário ou visionário, o segredo sempre é a leitura!

    Amém!

    ResponderExcluir