5 fatos: 3 meses de cupcakes e o que aprendi com eles

terça-feira, agosto 19, 2014 Aline 8 Comments

Já se passaram 3 meses que vendemos bolinhos, desde aquela saga toda. Além do stress e cansaço que me causam (e felizmente a renda extra que muito preciso), alguns pontos foram notados:


  1. Cozinhar exige técnica, aprendizado, pesquisa e principalmente prática. Óbvio, porém quando tem que se colocar a mão na massa, apenas ler a receita não basta. Aprender e entender as reações químicas na gastronomia vira rotina, principalmente se algo dá errado e é preciso recomeçar do zero. A receita em si deixou de ser só minha bíblia, mas muitos outras fontes de informação são usadas. Quando eu ia saber que a farinha pode desenvolver seu glúten se eu batê-la demais e assim, os bolinhos ficarão murchos e solados?
  2. Paciência e perseverança: duas características inerentes ao meu ser que se desenvolvem aos poucos, graças as coberturas que não dão ponto, os bolinhos que ficam mutantes e saltam da forminha (ou dela desgrudam), o alto número de encomendas incompatível com a baixa carga horária para produção... Confesso que houveram dias quis desistir e avisar a todos que algo deu errado e puf, nada de cupcake na sexta. Mas, fielmente o namorado está lá para chacoalhar e dizer: VAMOS, VAI DAR CERTO! (Btw, tks Marcus!)
  3. Simpatia e sociabilidade: tenho todo meu jeitão louco, de sair falando com todo mundo e ser espontânea - mas eu gosto do meu mundinho e hoje em dia não sinto tanta necessidade de sair fazendo quaisquer amizades por aí. Porém, tenho me socializado mais do que tenho costume, não só por querer vender, mas por interessar pela vida da pessoa - já que muitos são amigos bem antigos, de ginásio, colegial e empregos anteriores. Revi bastante gente que o tempo distanciou, e esse tem sido um grande trunfo!
  4. Podemos nos transformar em quem não achamos que podemos ou conseguimos ser: nunca achei que pudesse vender, nunca mesmo. Tampouco espírito empreendedor. E ainda mais, que minha capacidade em tantos outros âmbitos fosse maior do que imaginava. Tinha uma visão de quem sou totalmente diferente da que tenho hoje, com míseros três meses de experiência. Todo mundo pode sair de onde está, basta primeiro tentar - e não precisa nem acreditar! Tentar e não desistir, tentar e não desistir, tentar e não desistir. Com os primeiros mínimos resultados, é possível começar a crer. E aí, a coisa só tende a melhorar. Estou feliz e crente de que isso é só o começo, eu posso ir muito mais além! Se eu posso vender, empreender, cozinhar, utilizar um escasso tempo... você também pode fazer qualquer coisa!
  5. Casais inteligentes enriquecem juntos: troco por casais cúmplices se ajudam e conseqüentemente conseguem lucro financeiro. O namorado deu o empurrão inicial, ofereceu ajuda e eu não achei certo ter o crédito inteiramente a mim. Hoje o Chefcake somos nozes, com chocolate e bastante fermento, principalmente quando um tende a murchar ou desistir. Planejamos, administramos o dinheiro que entra, que sai e como utilizar o lucro. Nem tudo é mar de rosas e um negócio (já passamos a considerá-lo dessa forma) tende a trazer dor de cabeça e discussões - o que pode prejudicar um relacionamento, que é totalmente externo. Tem que ter paciência (olha ela aí mais uma vez!), tolerância, sensibilidade ao outro e companheirismo. Tenho orgulho!

8 comentários:

  1. Amei o "Casais inteligentes enriquecem juntos" haha :D
    Quero muito aprender a cozinhar cupcakes decentes. Os meus são gostosinhos mas ficam com cara feia :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa,
      Nossos cups nem são tão decentes assim, viu! :/ Tem semanas que eles ficam lindos, com os dominhos redondinhos. Outras, ficam simplesmente retos - por mais que eu não bata muito a farinha. Haja paciência! haha!

      Excluir
  2. E não e que vc expôs 5 fatos interessantes mesmo? Sei que nem sempre estou presente para acalmar, mas quando estou, nao importa a hora, bolinhos fofinhos sairao do forno nem que tenhamos q virar a noite ;) Te amo!

    ResponderExcluir
  3. Tem anos que eu mexo na cozinha e mesmo assim ainda dá erro com algumas receitas, é foda. É muito difícil! Te admiro por ter levado isso pra frente, já trabalhei com encomendas e sei o quanto é difícil.

    beijo e sucesso com o Chef Cake!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Marcela!
      Vamos ver até quando isso vai... pois como você mesmo disse, trabalhar com encomendas é difícil!

      Beijos!

      Excluir
  4. Apesar de eu não ter paciência para cozinhar rs eu acredito que cozinhar é de certa forma uma terapia ne onde vc esquece o mundo externo e os problemas e se concentra apenas no que esta fazendo.
    Estou torcendo aqui para que os seus negócios cresçam e dê tudo certo, quem sabe sairá dai o dimdim pra vir me visitar :D

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari,
      Cozinhar é uma de minhas terapias e me ajudou muito quando voltei dos USA. Mas, quando vira algo sério como encomendas, aí o bicho pega e o que que é prazer, vira obrigação! :/

      Pode apostar que vou! :)
      Beijos

      Excluir