Quem: Foo Fighters

quarta-feira, março 25, 2015 Aline 12 Comments


Olá!
Hoje vou dividir com vocês um pouco sobre os responsáveis pela trilha sonora da minha vida e das minhas viagens (inclusive desta próxima) - por isso tem tudo a ver com o blog! Da um play nesse vídeo e bora ler meu drama! :P


I'm getting tired of starting again, somewhere new...
Já mencionei em muitos posts (como na semana passada) o quanto gosto da banda liderada por Dave Grohl. Resumindo, Foo Fighters é considerada uma banda de "rock alternativo" ou até "uma mescla de punk pop", formada inicialmente somente pelo ex-baterista do Nirvana - dizem que como forma de aceitar o luto pelo colega Kurt Cobain. Mesmo Dave expressando nos últimos anos que eles tem "o pior nome de bandas do mundo", é bem interessante saber que é uma referência a 2ª Guerra Mundial: era esse o nome que os pilotos davam a luzes não identificadas que perseguiam seus aviões nos céus (que uns acreditavam ser um tipo de arma psicodélica alemã ou quem sabe, ovinis!). Quem quiser saber mais, clique aqui.



Já a minha história com a banda é meio longa e talvez precisasse de um blog (ou livro) exclusivo para detalhar. Não sou a fã louca que sabe de cor a vida de todos os integrantes, porém minha paixão é pela música: os acordes (uns tão insanos (The Pretender <3), enquanto outros apaixonantes (Strange Things Have Happened).
What if I say I'm not like the others?
O amor à primeira vista foi em 1999, quando senti a energia alucinante do Learn To Fly no extinto Interligado (Rede TV). Como meu conhecimento musical era baseado em Backstreet Boys, Nsync e Spice Girls, este foi meu primeiro passo no mundo do "rock".

Durante a adolescência e a metamorfose existente nela, aqueles hits pegajosos como Times Like These e Best of You me acompanhavam e detestava saber que já estava virando modinha (sempre do contra). Mas em 2011 que a banda ganhou espaço e vício em todos os momentos, sendo a trilha sonora oficial no carro, academia e em casa.

Também mencionei aqui no blog meu gosto por histórias em quadrinhos e em especial, a Marvel. Antes mesmo de estrear Avengers assisti toda saga dos heróis e ainda fazia pirataria dos links para os amigos aprenderam a sequência (Iron Man 1, Hulk, Iron Man 2, Thor, Capitan America 2 e então, The Avengers). Thor trouxe seu irmão Loki e por ele perdidamente me apaixonei, o que me fez ir ao cinema 6 vezes para vê-lo tentar dominar o mundo contra nossos heróis, em 2012. 
Walk com videoclipe para Thor (no filme, a musica toca quando ele esta num bar com o Dr. Selvig)

Voltando a falar de Thor (e do seu irmão, interpretado perfeitamente por Tom Hiddleston <3), uma das músicas da trilha sonora - talvez a principal - é Walk, logo de quem? Foo Fighters. O universo decidiu somar minhas paixões. Nesta mesma época eu vivia o sonho do planejamento da primeira viagem (UK), e o cd Wasting Lights virou trilha sonora do momento. 


Walk videoclipe oficial, com o Dave surtando. "Diz que é fa de Foo Fighters, mas não joga Iphone da ponte. Poser!" 
I think I lost my way, getting good at starting over everytime that I return...
Neste mesmo ano, a banda veio ao Brasil e depois de vários contratempos - além do prejuízo no bolso - consegui ir ao Lollapalooza. Meu primeiro show com uma multidão imensa, quase fui pisoteada e  chorei quando ele finalizou com "This song is for you!" ao começar os acordes de Everlong.




Everlong, uma das mais românticas da banda, seria então a música tema de quando chegasse em Londres, porque claro, I've waited here for you everlong. Não satisfeito em ter tamanha participação em minha história, Dave foi além e fez desta a música - que até então, eu diria que só a Inglaterra a merecia - a NOSSA música. Sim, o Marcus chegou exatamente neste momento e quando pousei em Heathrow, imaginei quão perfeito aquele país seria se meu everlong estivesse comigo. Romântico, não? Calma, não pára por aí.



Meses se passaram e começou a tal história zuada-zicada do AuPair. Como sabem, hoje tenho um caso de amor x ódio com Chicago e não engoli o fato de ter voltado (embora já aceite com naturalidade). Foo Fighters resolveu interferir mais uma vez: no ano passado - meu calvário - eles lançaram o novo álbum, Sonic Highways. Não era um álbum qualquer.


 Give me a flammable life, I'm cold as a match ready to strike... 
Foi especial para a banda, que gravou cada música em uma cidade diferente nos USA com o intuito de resgatar o melhor de cada região e se reinventarem, em pleno aniversário de 20 anos do grupo. Quem dá abertura ao álbum é Something From Nothing, composta, gravada e inspirada em... CHICAGO. Sim Dave, obrigada por captar meu momento. Mais uma vez.

Passado todo drama do meu retorno, em novembro abriu a pré-venda dos ingressos para o show em São Paulo. Eu já tinha ido uma vez, mas é Foo Fighters, e tinha que ir novamente! Saí correndo da aula de Medicina Aeroespacial, achei um computador na escola e fiquei na fila de espera. Mas consegui. E dessa vez, levaria comigo o Marcus. 



Janeiro, 2015. O namorado que tanto odeia multidão estava encarando o Morumbi lotado. Os primeiros acordes foram dados e as lágrimas também. Por que começar a porra do show justo com a música da porra da cidade que eu amo/odeio/não esqueço? Chorei mais outras vezes com Walk, Learn to Fly e claro, Everlong. Mais do que no Lollapalooza, esse show me marcou e me fez virar uma página que ainda me trazia dor.



O mais interessante foi que o próprio Marcus adorou a banda e digamos que não para de ouvir as músicas (em todo lugar, assim como eu). Até ele dar a brecha: "odeio multidão, mas iria fácil em outro show deles!".

Após o Brasil, a banda continuaria a tour Austrália e logo depois... Inglaterra! Nossa viagem já estava marcada e inocentemente insinuei ao Marcus se poderíamos repetir a dose. Alegria foi quando ele topou não só por saber que isso me faria feliz, mas porque também a banda agora se tornou importante a ele. <3

Como o plano estava bom demais pra ser verdade e quando a esmola é muita o santo desconfia, os ingressos para Londres já estavam esgotados. Achamos no Viagogo por um preço absurdamente insano, e como sabem, nossa viagem tem toda essa propaganda do minimalismo. Mas, na boa? Foda-se minimalismo e gastos controlados. Chutamos o balde e compramos os ingressos!



A ficha caiu mesmo ontem, quando os recebi. Não sabia se gritava, chorava, pulava. 

Foo Fighters tem o dom de desenhar cada melodia pensando em um momento especifico da minha vida. Coincidência ou não, tem funcionado bem. Curiosamente nosso primeiro encontro foi com Learn to Fly e hoje estou eu quase prestando a banca da Anac para finalmente ser chamada de Comissaria de voo. Teria, quem sabe, adivinhado lá atrás o que aconteceria em meu futuro? 


(melhor videoclipe ever, se nunca viu hoje é seu dia)
I'm looking for complication, looking cause I'm tired of trying...  Make my way back home when I learn to fly high!
Queria poder expressar como me sinto, em saber que verei minha banda preferida daqui exatos 85 dias no mesmo lugar em que sonhei a vida toda em conhecer. Quem diria, que depois de todo aquele perrengue do inferno, da depressão, das crises de pânico, estaria eu aqui... contando os minutos pro dia mais importante da minha vida.

Termino o post dando as boas vindas oficiais ao Marcus, que alem de dividir as aventuras e loucuras do dia-a-dia, agora também é meu parceiro aqui no blog.

E pra você, Chicago... Assim como o Dave, também tenho uma música pra você. Aguarde! ;)



12 comentários:

  1. Ah mano, sinceramente aquelas 80 mil pessoas do morumba nao era nada parecida com os 2mi do rio...

    Ja sobre o everlong, nao sei nem oq dizer. Sei que cheguei e um momento que vc nao esperava e nao queria muito alguem apra atrapalhar seu planos ingleses... De la pra ca fiz por merecer?.. espero nao ter estragado a musica, mas sim feito dela algo mais para lembrar de nos dois, pq sim, todo dia na gym quando escuto ela eu me lembro de nos dois! s2

    Que venham muitos shows do FF!

    te amo

    S2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que fez por merecer! :P Até sabia cantar as músicas no show! Pra quem tinha sertanejo no carro há alguns anos, tenho é que morrer de orgulho! :)
      Que venham!
      Te amo!

      Excluir
  2. Buá, como faz pra não chorar?
    Que história mais fofa. A vida às vezes parece filme, com tantos acontecimentos loucos. Que essa sua viagem te traga mais momentos inesquecíveis e emocionantes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imaginei que era a Vanessa mesmo! :P
      Se minha vida fosse filme, infelizmente (ou feliz) a trilha seria na maioria composta pelo Foo Fighters! E a sua?!

      Beijos!

      Excluir
  3. É incrivel como a musica tem o poder de marcar as fases das nossas vidas ne, seja fases boas ou ruins...Ate hj tem musicas que eu ate gosto, mas evito ouvir por algum motivo ou aquelas que eu escuto e me emociona
    Ha musica que ouvimos, cantamos extremamente alto de tanta emoção (mesmo sem saber cantar direito) e nao nos cansamos de ouvir.
    Assim como vc minha adolescencia foi marcada pelo BSB, Spice ( se elas vierem no brasil eu vou kkkkk) e N Sync, porem sempre tive um gosto mais pro lado do rock ou rock/pop, me lembro q a primeira musica de rock pela qual me apaixonei foi Patience do Guns, logo veio Aerosmith, Metallica, Iran entre outros, hoje eu ja sou um pouco mais flexivel, mas nao tem jeito sempre volto pro rock basico kkkkkkk

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari! Nem me fale em BSB!
      Tenho certeza que você vai curtir muito e te peço pra curtir em dobro, por mim! Como eu queria ir! *-*
      Imagine como fiquei emocionada quando fui a um espetáculo em Londres sobre a vida das Spice! Chorei na maioria das músicas! hahaha!

      Beijos!

      Excluir
  4. Mais uma vez meu comment apareceu como anônimo. Oxe O.o

    ResponderExcluir
  5. Li, show!!!
    Adorei a história real de vocês e quando inclui Foo Fighters, aí fica muito melhor!!! =D
    Boa super mega sorte pra vocês nessa viagem e se divirtam com os feras do rock! Muito feliz por ir realizar este seu sonho antigo.
    Beijosss!
    Nath,
    www.brazucaupair.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nath,
      Comecei a traduzir as letras das músicas, como forma de "praticar" inglês... e fiquei ainda mais fã da banda! Sem contar as várias expressões que nem sabia que existia!
      Curta os USA por mim!
      Beijos!

      Excluir
  6. Achei muito interessante vc contar sobre a origem do nome da banda. Confesso que não sou muito fã deles, mas sei como é gostoso ir no show de uma banda/cantor que a gente adora assim a ponto de fazer parte da nossa vida. E poxa, ir no show da sua banda favorita em Londres não é para qualquer um, hein? Essa viagem promete hehe.
    PS. Estive sem net, mas vou te responder aquele email já, já.
    xxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh Paulinha! Essa viagem tá é prometendo demais! Essa noite até sonhei que eu tinha conhecido os caras e feito bolo de cenoura pra eles! hahahaa!
      E agora eu que devo-lhe uma resposta. Não tardarei essa vez! :P
      Beijos!

      Excluir