Airbnb x Couchsurfing (+ status da trip)

quarta-feira, abril 08, 2015 Aline 6 Comments



Comecei a reservar os hotéis assim que definimos as datas, ou seja, cerca de 9 meses antes. Primeira pergunta: por que reservar tão cedo?
Resposta óbvia: lei da oferta x procura. Quanto mais próxima a data de hospedagem, mais procura, menos disponibilidade – logo, maiores tarifas.
Mensalmente, dedicava um tempinho lá no Booking fuçando em cada cidade, em busca de um preço melhor do que já tinha; algumas vezes conseguia, cancelava a anterior e mantinha a nova. Certamente a central de reservas de muitos já deve ter inserido meu nome no blacklist (coisa feia ficar “bloqueando” quartos...). 
Enfim, quando chegamos aos -2 meses, ainda não estava satisfeita. O euro e a libra estão numa ascensão terrível e com isso, nosso orçamento vai pra lama. Como o budget da comida já está baixo, então lá fui novamente mexer nas reservas. Precisava reduzir os valores e nem o Booking estava ajudando. Aí que entra o Airbnb.

Diferença entre Couchsurfing x Airbnb
Hoje em dia, estes nomes já não são novidade e muita gente já fez o uso de um deles. Nós somos do time que só tinha ouvido falar, mas nunca experimentado. Para quem estreia na modalidade “dormir na casa dos outros”, pode não saber bem a diferença entre os dois. 
O BlogHer sintetizou bem a experiencia e vou compartilhar suas palavras:
However, Couchsurfing and AirBnB are great alternatives for you if you want a more intimate experience. Especially if you don’t have much to spend and are traveling on a budget, and want to get a cultural experience, Couchsurfing is amazing. I had a great time traveling around Europe and meeting up with Couchsurfers! You don’t even have to stay with them if you don’t want to – lots of Couchsurfers are up for meeting people for coffee and to share fun things to do in their cities. (click to see all post here)
Ja o TravelHack tem um post bem legal sobre 7 razoes para escolher Airbnb a Couchsurfing (e eu concordo, ate o momento!): clique aqui!
Couchsurfing
Ao pé da letra, surfar no sofá – ou dormir no sofá da casa de alguém. É uma rede social, na qual além de todo blablabla de preencher seu perfil, com fotos, tipo de música e hobbies, também pode deixar o sofá, cama ou quarto de sua casa disponível para que outra pessoa se hospede, sem pagar nada. Da mesma forma, é possível encontrar N pessoas ao redor do mundão disponibilizando um canto for free. Vamos exemplificar:




Antes da reserva em si, rola todo um papo entre o guest x host, alinhando datas, disponibilidade, como funciona e tal. 
 
Nosso “problema” é que, por sermos “novos” no negócio, filtramos bem os tipos de host que desejaríamos ter e portanto, nossa gama de escolha não estava tão aberta. Muitos não nos responderam, outros declinaram de primeira (mesmo depois de enviarmos um puta texto a la Aline) sem satisfação e nosso único êxito foi com um cara de Roma, que nos aceitou porém cobrando para ficarmos em seu B&B. 
Segundo ele, só aceitava free pessoas que pediam de um dia para o outro sem terem onde ficar, e como estávamos bem adiantados, faria reserva normalmente. Como o total ficou muito abaixo da reserva de hostel que já tínhamos, fechamos com ele (cerca de EUR 160 por 4 dias para os dois, com café). 
Não teremos propriamente dito uma experiência de couchsurfing, mas conseguimos um bom local por ele (pelo menos, esperamos).
Lembre-se que ao hospedar gratuitamente na casa de alguém, não vale esperar café da manhã ou qualquer tipo de “gentileza” desse nível. É meio folga ficar de graça na casa dos outros e ainda querer mordomia, né? Alguns até deixam isso bem claro e até dizem que se o guest quiser oferecer um jantar ou algo do tipo, é de bom tom. Nada mais justo, né? 

Airbnb
É tipo uma “imobiliária” online, como o nosso Alugue Temporada. O bom é que além de poder reservar uma casa/apartamento inteiro, tem a opção de alugar somente um quarto, dividindo o resto da casa com o dono dela (uma ótima pedida para aqueles que querem se inserir melhor em tal cultura). Ao contrário do Couchsurfing, nesse se paga para ficar.
Anteriormente, tinha dado uma “fuçada” e não encontrei preços atrativos. Porém, com o câmbio subindo, me forcei a voltar lá e procurar com calma. Com MUITA calma. Essa é a nossa dica: TENHA CALMA!

Diferente do Couchsurfing, achei a interface bem mais facil - sem contar que da para colocar a data real da viagem, buscando assim locais disponiveis no periodo.
Aparecerão muitos locais, vários tipos de hosts e diversos preços, mas é importante checar vários detalhes, além de trocar também mensagem com quem pretende se hospedar. Alguns pontos que levamos em consideração:
  • Preço!
  • Se forneciam café da manhã (muitos não oferecem)
  • Estacionamento (no caso da Itália e França, que locamos carro)
  • Localização (aquela história do “raio” que expliquei neste post)
  • Tipo dos hosts (o que gostam, o que fazem – tem que rolar um feeling aí)
  • Comentário de guests anteriores (MUITO importante e critério decisivo!) 

Baseando nos itens acima e em muita pesquisa, selecionei nas cidades cerca de três hosts e enviei mensagem, nos apresentando, falando sobre a viagem e se poderiam nos hospedar. Após isso, apresentei-os pro Marcus, que ajudou na escolha (quando a viagem é em dois, a escolha também deve ser!).

Tudo mastigadinho pro Marcus: as localizações das casas, o que cada uma tinha e o valor. :P
Um ponto importante sobre o Airbnb é a forma de pagamento, que é feito sempre imediatamente após a efetivação da reserva (por cartão de credito ou paypal). Pagamos para o Airbnb, que so libera ao host após 24h do check-in, dando uma certa segurança aos guests, e uma garantia aos hosts. Ah, e o fechamento e' em dolar! E essa moeda que nao para de subir!
No final, nosso schedule ficou desse jeito (redução de uns R$ 2.050,00!)
As reservas em amarelo foram as feitas pelo Airbnb, a em vermelho pelo Couchsurfing. Vale observar que a primeira planilha e' de fevereiro, portanto, o cambio estava bem mais baixo... 
Se teremos uma boa experiência, não temos duvida. Pelo bom ou ruim, aprenderemos e com certeza, renderá boas historias - e um post quando voltarmos sobre o feedback.
Alguém ai já experimentou? Como foi?

6 comentários:

  1. Uia!
    Ainda bem que alguem aqui gosta de pesquisar com antecedencia, ne? :P
    Vai dizer q ja ta pensando no próximo destino? :P

    Loveu s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já, daqui a pouco vou planejar a virada do ano, carnaval, etc... assim como no ano passado, que compramos tudo 6 meses antes :P

      JUM
      Te amo <3

      Excluir
  2. Eu nunca tinha ouvido falar no Airbnb, mas achei ótimo! Fiquei curiosa, e quem sabe eu não use em alguma viagem pela Europa ;)

    Mas o que me impressionou mesmo foi o quanto você economizou. Vou te contratar pea fazer minha grana render hahaha. Quanto ao Euro e ao dólar, tinham que subir justamente no ano que vou me mudar, né? Me sentindo muito pobre, viu

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca tinha ouvido falar no Airbnb, mas achei ótimo! Fiquei curiosa, e quem sabe eu não use em alguma viagem pela Europa ;)

    Mas o que me impressionou mesmo foi o quanto você economizou. Vou te contratar pea fazer minha grana render hahaha. Quanto ao Euro e ao dólar, tinham que subir justamente no ano que vou me mudar, né? Me sentindo muito pobre, viu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, acho que preciso começar a trabalhar com isso!
      Vc tem noção que a libra chegou aos 5 conto? TO P COM ISSO! hahaha queria comprar um monde de brinquedo na Hamleys, já era :/
      Olha, tem até umas casas diferentes no Airbnb, como na árvore, carroças (e muitas na Alemanha!). Acho que vale pra vc ter um fds diferente por lá! :)
      Vou fazer um post depois sobre esses achados!

      To pobre tbm :/

      Excluir
  4. Escreva mais sim, Aline. Eu queria ir "dar um passeio" em Budapeste e o namorado queria ir para a Escócia. Então, vou dar uma pesquisada nas opções. Ah não esqueça de compartilhar sobre sua experiência depois, tá?

    ResponderExcluir