VIAJAR NÃO TE FAZ FELIZ

quinta-feira, maio 21, 2015 Aline 10 Comments


crédito

Depois de listar algumas coisas que enchem o saco em blog de viagens, quem sou eu para vir cagar regra também? Mas como sempre, com aquela boa intenção, queria mostrar um outro ponto de vista discordando de muitos posts por aí.

***

Somos amigas há muitos anos. Saímos da infância juntas, tornamos o terror dos pais na adolescência e quando jovens, sabíamos nos divertir. Já faz alguns que estamos mais distantes, consequências de escolhas - como acontece com todo mundo. Nos últimos três anos, eu vivi em função das viagens e por e com elas, talvez tenha mudado um pouco - ou muito. Ela, entrou em um relacionamento daqueles tóxicos que não permite coisas simples, como amizades. Como vida própria. Mas foi a escolha dela, que sabia desde o começo que assim seria.

Semana passada nos encontramos - um ritual que de semanal, passou a ser semestral. Mais uma vez, ela reclamava que não era feliz, havia parado no tempo, não crescia, não vivia. A mesma ladainha de sempre. Aposto que você conhece alguém assim - todos conhecemos.

A questão é que estou cansada das mesmas histórias, das traições, das ofensas - e ela nunca ter coragem de deixá-lo. Cansei também de aconselhar, dar sermões, dicas, estender o braço. Todo mundo cansa quando sabe que a própria pessoa não quer mudar, não é?

- Qual foi o momento mais feliz da sua vida? A primeira coisa que vier a sua cabeça, não vale pensar. 
- Rio de Janeiro. 

Tirei a foto em 2012 e ele estava igualzinho em 2015 :p
Faz mais de 3 anos que tivemos um carnaval daqueles inesquecíveis na cidade maravilhosa e esta foi sua primeira e única viagem. Foi muito bom, mas eu não citaria como o momento mais feliz da minha vida.

Eu senti pena por o momento que ela julga felicidade estar tão lá no passado; feliz por ter feito parte dele e por estar em suas alegres memórias. Mas um filme passou por mim desde aquele dia e mais uma vez concluí que não foi a viagem que a deixou feliz. Não foi o fato de estar no Rio de Janeiro.   

***

Quando decidi abandonar tudo para ser AuPair e ir aos USA, sabia que não adiantaria cruzar o continente para fugir dos fantasmas que aqui deixei - embora tivesse firmemente essa esperança. Eu fiquei doente, tive que voltar e isso todo mundo sabe. Mas eu viajei, não? Fui mais feliz por ter pisado em outro país? Não. Gostei, curti - assim como sofri por ter colocado uma expectativa demasiada grande em uma viagem. Eu mudei mais quando voltei, do que quando estava lá.

***

O Rio de Janeiro de fevereiro de 2012 definitivamente não vai existir nunca mais. Assim como Cabo Frio em 2008 também não vai repetir. Poderia citar aqui uma penca de experiências legais que tive em cidades que não são a qual resido, inclusive no exterior, mas o fato é: não é a viagem que te faz feliz, mas quem você é (e o que permite sentir) naquele momento. 

Minha primeira viagem: Cabo Frio."Não me mostre o paraíso, que se eu for não vou voltar"...

Tentei explicar que poderia ter momentos tão bons quanto aqueles aqui e agora - e tudo dependia dela. O Rio de Janeiro continua lindo, mas não devolveria aquela alegria. Ela não é a mesma pessoa, não adiantaria fazer as malas e correr pra lá - ou qualquer outro lugar. 

***

Se conselho fosse bom não se dava e por isso vivo me ferrando por tentar oferecer a quem nem procura. Mas permitam-me mais uma vez dar um daqueles que a experiência comprova o fato: não pense que uma viagem te fará feliz. 

Viaje sim, e muito se puder. Meu discurso sempre será para investir em uma, mesmo que seja na cidade vizinha, no parque da cidade que nunca pisou. Mas viagem alguma faz o milagre sozinha; tudo depende exclusivamente de quem levará dentro de si.

O Rio de Janeiro me conheceu em dois momentos diferentes; ele estava igualzinho quando o deixei pela última vez, mas eu, outra pessoa. A mesma essência, mas com outro olhar. Talvez eu tenha mudado tanto por conta das viagens, digo, por tudo que deixei que elas fizessem a mim. Não foi Londres nem Chicago. Foi o que permiti absorver, e o que fiz com tudo aquilo depois.

Por dentro, eu não estava preparada para Chicago. 
***

Se está planejando uma viagem, independente pra onde seja, tenha em mente que aquele lugar te mudará se você permitir. Viagem é uma jornada sem volta para aqueles que se entregam a si mesmos

Se anda lendo muito sobre largar o emprego que te aborrece para ser feliz viajando como nômade digital - admiro os que são - tenha em mente que as coisas não são bem assim. Diz o cliché que a felicidade é o caminho, e não o destino, portanto, a regra é a mesma: não pense que largar o emprego e sair pelo mundo vai te fazer feliz, se por dentro, você não estiver.

A mesma regra do comprar por compulsão e colocar a felicidade nas mãos de outros. Quanto mais externo se procura, menos se acha. Nem Nova Iorque será capaz de milagre algum se não se permitir.





***

O timing sobre o assunto tá tão perfeito que nesta mesma semana encontrei sem querer dois outros posts sobre o tema. Vale a pena ler "eu não preciso viajar para encontrar a felicidade" da Bruna e "7 clichês de viagem que merecem um tapa na cara" do Rafael.

Inspiração: minha manhã total mindfulness no parque. Nem precisei viajar tão longe para ter um momento feliz! :) 

cueeé


10 comentários:

  1. Aline, que bacana ler esse relato! Só complementa o que falei no texto de que quando estamos em paz com nós mesmos, não importa o lugar em que estejamos, tudo é lindo! Se estamos amargos, infelizes, poderemos estar no hotal 5 estrela, suite master, e ainda assim a tristeza será nossa maior companhia!

    Fiquei muito feliz por ver o blog partilhado aqui! :D

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  2. Aline, que bacana esse post. Concordo plenamente com você. Acredito que estando em paz interior, não importa em que situação/lugar estejamos, estaremos felizes e bem! Já estando infelizes, ainda que estejamos em um hotel 5 estrelas a tristeza será a nossa companheira de viagem!

    Obrigada pela partilha!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruna,
      Assim como ta na moda dizer que o legal e' "ostentar carimbos no passaporte", a onda de viajar como fuga da realidade tambem ta bem em alta... Principalmente quando se fala em nao gostar do emprego e tal. Quem foge de si mesmo, sempre estara em fuga, mesmo que seja na Italia comendo macarrao... :P
      Eu quem agradeco pela inspiracao, sempre!
      Beijo!

      Excluir
  3. Aline, esse foi, de longe, o melhor post que li na semana, no mês, sei lá, em bastante tempo. A gente vive colocando nossa felicidade em coisas externas, mas vc disse bem, estar de bem conosco e com a vida é o primeiro e mais importante passo.
    Vc é uma bela escritora.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulinha,
      Muito obrigada, primeiramente.
      Se encontrar e' uma tarefa mais dificil do que juntar grana 1 ano pra viajar, digo por mim mesma... :)
      Um beijo!

      Excluir
  4. Li, simplesmente adorei!
    Para mim o centro deste post foi " tudo depende exclusivamente de quem levará dentro de si." e isso realmente reafirmou e clareou minhas próprias conclusões e expectativas sobre minha própria jornada.
    A vida está dentro de nós e sem a liberdade de vivermos (em nós mesmos, nossa existência) nada terá pleno sentido, porque não é o exterior, mas sim o interior que dirige tudo!
    Muito bom e muito obrigada por compartilhar seus pensamentos!
    Bjokas e boa viagemmmm! =D
    Nath,
    www.brazucaupair.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nath,
      tenha sempre isso em mente: nao se preocupe com a mala, com o que levar, os lugares que conhecer... mas sempre quem vc levara consigo! O problema de termos o livre arbítrio e' que as vezes acabamos nao entendendo nossas escolhas; ai ficamos insatisfeitos e jogamos a resposta em uma viagem...
      Obrigada lindinha, jaja chega a sua! :)
      Quem sabe um dia vamos comer um donuts por la!
      Beijos!

      Excluir
  5. ah, é que sensacional o post "7 clichês de viagem que merecem um tapa na cara", adorei! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E os memes do Batman? hahaha melhor ainda! ;)

      Excluir
  6. Ué, tenho certeza que comentei esse post. Será que não foi para nos spams? :( que estranho.

    ResponderExcluir